8 de março de 2019
  • Blog Mundo Mãe
  • Como os arquétipos das deusas gregas influenciam as mulheres contemporâneas

Como os arquétipos das deusas gregas influenciam as mulheres contemporâneas

Neste Dia Internacional da Mulher, não quis prestar uma simples homenagem à “mulher moderna”; e, muito menos, entrar em assuntos polêmicos sobre a comemoração. A data me fez “viajar de volta no tempo” e fazer uma análise que, na verdade, faz parte da minha rotina profissional. Você sabia que os arquétipos das deusas gregas influenciaram […]

Neste Dia Internacional da Mulher, não quis prestar uma simples homenagem à “mulher moderna”; e, muito menos, entrar em assuntos polêmicos sobre a comemoração. A data me fez “viajar de volta no tempo” e fazer uma análise que, na verdade, faz parte da minha rotina profissional.

Você sabia que os arquétipos das deusas gregas influenciaram e ainda influenciam as mulheres contemporâneas? Não se trata de “rótulo” ou algo do gênero, mas, sim de uma cultura que foi sendo passada de geração para geração e que deixou tais arquétipos vivos em nosso inconsciente coletivo.

Mesmo que, hoje, não saibamos o nome e a histórias das Deusas gregas, somos capazes de nos identificar (parcialmente ou totalmente) com um dos “tipos” que essas personagens deixaram na sociedade.

Vale lembrar que, na Grécia antiga, os pilares da vida em sociedade eram baseados na mitologia grega. E as Deusas estavam presentes como arquétipos que auxiliavam as mulheres a conhecerem as suas características e a sua forma de se relacionar na sociedade.

As Deusas eram, assim, personagens importantes para o autoconhecimento e para estabelecer os padrões da civilização na época: sete diferentes arquétipos refletiam distintas forças, pensamentos e instintos das mulheres; o que as ajudava na compreensão e representação na organização social.

Para entender melhor esse conceito, conheça os principais arquétipos femininos da mitologia grega:

Mulher Atena

Na mitologia, Atena nasceu da cabeça de Zeus, por isso, representa a sabedoria. As mulheres que se encaixam nesse arquétipo são muito inteligentes, racionais e se dedicam bastante ao trabalho e ao desenvolvimento intelectual.

Dedicam ainda atenção especial à justiça social e à política e têm tendência a assumir cargos de chefia e/ou liderança.

Mulher Afrodite

Afrodite nasceu de Urano, senhor do céu, depois que ele foi castrado e o seu sêmen caiu no mar. A Deusa representa o amor e a beleza.

As mulheres de Afrodite adoram se apaixonar, têm o hábito de se entregar aos seus desejos e vivem intensamente cada relacionamento. Têm, assim, tendência a decepções amorosas e intrigas românticas.

Em relação ao trabalho, as mulheres regidas por esta Deusa tendem a seguir carreiras artísticas, como música, dança, pintura, artes cênicas, moda e artesanato.

Mulher Perséfone

A Deusa Perséfone viveu entre o mundo subterrâneo e a superfície. Representa as mulheres do mundo espiritual, voltadas às questões internas do ser humano.

As mulheres regidas por Perséfone são ligadas com a espiritualidade e têm a tendência de serem sensitivas e até mediúnicas. Costumam ser mais “reservadas” e valorizam a reflexão e a observação.

Mulher Ártemis

Na mitologia, é a Deusa das selvas, arqueira e caçadora. Representa a liberdade e a natureza e, assim, rege as mulheres livres e aventureiras.

São aquelas mulheres que mais seguem seus instintos e desejos e não costumam dar importância para o que os outros pensam sobre elas. Geralmente não têm medo de desafios, gostam de esportes e costumam ser adeptas de estilos de vida alternativos.

Mulher Deméter

Na mitologia, Deméter representa a mãe da terra. As mulheres regidas por esta Deusa são mulheres que adoram cuidar dos filhos, da família e dos amigos.

Costumam se sentir felizes com os afazeres domésticos, ser superprotetoras e têm apego aos animais, às plantas e a pessoas necessitadas.

Mulher Hera

Foi a rainha do Olimpo, responsável por manter as tradições. As mulheres regidas por esta Deusa costumam ser controladoras e centralizadoras, ótimas para organizar tudo ao seu redor.

São ainda bastante ligadas à família e ao casamento; sabendo lidar muito bem com os afazeres domésticos assim como com a carreira profissional.

Costumam ser ótimas líderes, gostam de seguir regras e espera que os outros também sejam assim. Por tudo isso, precisam se policiar para não se tornarem autoritárias e não perderem a paciência ao serem contrariadas.

Nas relações amorosas, as mulheres de Hera costumam buscar por parceiros semelhantes, geralmente ambiciosos e ligados aos padrões sociais.

Mulher Héstia 

Na mitologia, Héstia recusou-se a casar e permaneceu virgem durante toda a sua vida.

As mulheres regidas por esta Deusa têm mais amigas do que amigos e se interessam por assuntos mais intelectuais.

Preferem um casamento tradicional a um relacionamento casual e não sentem a necessidade da presença masculina para “se sentirem completas”.

A mulher Héstia aprecia a autonomia para tomar suas próprias decisões e gosta de cuidar do lar. Deixa também seus filhos livres para tomarem suas decisões.

E você, identificou-se com algum desses arquétipos? Muito provavelmente sim, assim como, talvez, tenha se lembrado de pessoas que acredita se encaixar em outros.

* Alessandra Netti é Psicóloga, Neuropsicóloga e Neurofeedback. Autora e especialista em comportamento do Blog Mundo Mãe.