8 de abril de 2019

O equilíbrio entre saúde física, mental e espiritual

Dia 6 de abril foi o Dia Nacional de Mobilização pela Promoção da Saúde e Qualidade de Vida. E, no dia 7 de abril, celebramos o Dia Mundial da Saúde. Ambas as datas visam conscientizar sobre a importância da preservação da saúde para se ter melhor qualidade de vida. Pensando sobre o tema, cogitei falar […]

Dia 6 de abril foi o Dia Nacional de Mobilização pela Promoção da Saúde e Qualidade de Vida. E, no dia 7 de abril, celebramos o Dia Mundial da Saúde. Ambas as datas visam conscientizar sobre a importância da preservação da saúde para se ter melhor qualidade de vida.

Pensando sobre o tema, cogitei falar exclusivamente sobre o crescimento das corridas de rua no Brasil e o quanto isso é positivo; sobre alimentação e hábitos mais saudáveis; sobre os benefícios das atividades físicas também do ponto de vista psicológico, entre outras questões pontuais.

Mas, concluí que, para falarmos sobre promoção de saúde de forma realista e atual, eu não poderia abordar somente um aspecto. Mas, sim, teria que colocar em pauta a importância do EQUILÍBRIO, como sabiamente aprendi com Jung que somos uma totalidade e que ela só pode ser plena se pudermos cuidar da SAÚDE FÍSICA, MENTAL E ESPIRITUAL!

Este EQUILÍBRIO é, a meu ver, o “único caminho” para uma melhor qualidade de vida. O equilíbrio entre corpo, mente e espírito é, aliás, o aspecto que permeia todas as estratégias provenientes da Medicina Tradicional Chinesa e de outros tratamentos alternativos, a exemplo da acupuntura, meditação, ioga etc.

Sem entrar em questões teóricas mais profundas, posso dizer que quando há desarmonia entre corpo, mente e espírito, podem surgir variados problemas físicos ou psicológicos tais como ansiedade, depressão, dores de cabeça, dores musculares, quadros respiratórios, entre outros casos comuns no nosso dia a dia.

Temos a tendência de tratarmos uma questão isoladamente (ou melhor, seus sintomas), geralmente com o uso de medicamentos tradicionais.

Porém, é necessário investigar as causas de determinado problema. “Por que tenho tido dor de cabeça todos os dias?”, “por que estou tão ansiosa?”, “por que não sinto vontade de me exercitar?”, “por que não consigo me alimentar bem?” etc.

E é o corpo (a saúde física) que manifesta determinado sintoma/problema de saúde como consequência de desiquilíbrios em todos os âmbitos da nossa vida. A saúde física é a “última instância”, e não a única.

Mas, e na prática, como cuidar do nosso corpo, mente e espírito? Compartilho com vocês algumas dicas básicas, mas que, na minha humilde opinião, são essenciais!

Saúde física

– Melhorar a alimentação. Se necessário, procurar um nutricionista para auxiliar nesse processo;

– Praticar atividade física regularmente;

– Fazer consultas de rotina com seus médicos de confiança;

– Se alongar no dia a dia.

Saúde mental

– Faça terapia (rsrs);

– Tente levar uma vida mais leve e alegre;

– Trabalhe duro, se assim desejar, mas reserve momentos para o lazer e o descanso;

– Conviva bem com sua família e seus amigos;

– Não guarde mágoas;

– Fuja de discussões, de fofocas, de pessoas e situações que, por algum motivo, “não te fazem bem”;

– Encontre um hobby (por exemplo, andar de bicicleta, sair com os amigos,tocar um instrumento, cozinhar etc.);

– Busque o autoconhecimento. Isso pode ser feito com a ajuda de terapias, mas também pode acontecer através de um trabalho diário e individual de se dispor a olhar para dentro;

– Se possível, reserve algumas horas na semana para cuidados pessoais, como, por massagens, meditação etc.

Saúde espiritual

– Independentemente de religiões, encontre algo que dê sentido à sua vida e, preferencialmente, que possa proporcionar algo de bom ao próximo. Perguntaram ao Dalai Lama: “Qual é a melhor religião?”. E ele sabiamente respondeu: “Aquela que te faz uma pessoa melhor”.

Tentei separar as dicas em tópicos, mas, a verdade é que elas se inter-relacionam, né? Quando falamos em praticar alguma atividade física, por exemplo, falamos não só em benefícios para o corpo, mas, também, para a mente.

Enfim, quando encontramos o equilíbrio desta pirâmide, os benefícios são notados em todos os âmbitos da nossa vida.

Se é fácil colocar tudo isso em prática?! Com certeza, não. Porém, o primeiro passo é nos conscientizarmos e estarmos dispostos a isso!

Até a próxima!!

* Alessandra Netti é Psicóloga, Neuropsicóloga e Neurofeedback. Autora e especialista em comportamento do Blog Mundo Mãe.