19 de outubro de 2019

Os cuidados necessários com a pele a partir dos 20 anos

Muita gente pensa que a pele jovem não necessita de cuidados especiais. Mas, na verdade, os tratamentos para a pele devem começar já no início da vida adulta, a partir do 20 anos. “Com o passar dos anos, a nossa pele sofre transformações devido à redução de algumas substâncias vitais. E a falta de hormônios, […]

Muita gente pensa que a pele jovem não necessita de cuidados especiais. Mas, na verdade, os tratamentos para a pele devem começar já no início da vida adulta, a partir do 20 anos.

“Com o passar dos anos, a nossa pele sofre transformações devido à redução de algumas substâncias vitais. E a falta de hormônios, o desgaste físico, alguns fatores como radiação ultravioleta, poluição e tabagismo, assim como alimentação, álcool, doenças dermatológicas e estilo de vida contribuem para o envelhecimento da pele”, comenta a esteticista Jane Lima Szytko.

“Com o passar dos anos e a soma de alguns ou de todos esses fatores, já aparecem os sinais de envelhecimento da pele, como flacidez, fadiga cutânea, rugas, redução de colágeno e elastina”, acrescenta Jane.

Vale destacar que uma pele não é igual à outra. “Em algumas pessoas, os sinais do envelhecimento tornam-se mais evidentes; em outras, são mais discretos. A questão genética também é importante neste caso, mas os hábitos de vida da pessoa (como, por exemplo, o tabagismo, o consumo excessivo de álcool, a falta de cuidados diários com a pele etc.) devem ser encarados com seu devido peso no quis respeito aos sinais de envelhecimento”, comenta Jane.

Ou seja, não dá para lutar contra o tempo e nem adianta “jogar a culpa” na genética. É preciso se cuidar!

Abaixo, Jane destaca os principais cuidados com a pele de cada idade. Vale a pena conferir e ver se “você está fazendo a sua parte”!

A partir dos 20 anos

Lembre-se que prevenção é tudo. Nesta faixa etária, podem ocorrer excesso de oleosidade, poros dilatados e acne.

“A dica é lavar o rosto duas vezes ao dia, com sabonete à base de calêndula (adstringente) ou camomila (que purifica e refresca), por exemplo. É interessante ainda usar um cosmético com ácido salicílico, que provoca uma esfoliação bem suave na pele, e dar início ao uso de cremes anti-idade”, destaca Jane.

“O uso diário de protetor solar é essencial! Na clínica, é recomendado fazer, com determinada frequência, limpeza de pele e hidratação. Dependendo das particularidades da pele, após avaliação, podem ser indicados tratamentos como peeling, laser ou radiofrequência”, acrescenta a esteticista.

A partir dos 30 anos

Nesta faixa etária, começam a aparecer as linhas e rugas, e as manchas causadas pelo sol, pelo uso de anticoncepcionais e/ou por gravidez tendem a se tornar mais evidentes.

“Recomendo o uso de hidratantes com vitamina C e E (que combatem o envelhecimento) e, para combater as manchas, cremes clareadores que deverão ser indicados por um profissional. É válido ainda começar a usar um creme para a área dos olhos, de preferência com vitaminas A e C, que combatem a flacidez”, destaca Jane.

“Na clínica, tratamentos com luz intensa pulsada são interessantes pois amenizam manchas de sol e sardas, mas as opções são inúmeras a depender das necessidades de cada pele”, acrescenta a esteticista.

A partir dos 40 anos

Nesta faixa etária, as linhas, rugas e manchas tornam-se mais evidentes e a produção de colágeno e elastina diminui consideravelmente, causando flacidez principalmente no pescoço e ao redor dos olhos.

“Importante usar cremes com vitamina A, C e E, que melhoram a hidratação, além de ativos como DMAE, argireline e elastinol, que ajudam a prevenir rugas e flacidez. Além do creme para a área dos olhos, é interessante começar a usar um cosmético específico para contorno labial”, explica Jane.

“Na clínica, podem ser indicados tratamentos como botox que ajudam a diminuir rugas e linhas de expressão e /ou aparelhos de radiofrequência que estimulam a produção de colágeno e elastina, recuperando o viço da pele”, acrescenta a esteticista.

Vale destacar que essas são dicas gerais. “É sempre necessário fazer uma avaliação criteriosa para poder identificar o melhor tratamento de acordo não só com a idade da pessoa, mas também com as particularidades de cada pele”, finaliza.