24 de abril de 2020

Quando deve procurar o Neuropsicólogo para meu filho?

A neuropsicologia é a ciência que se concentra em estudar e compreender o funcionamento do cérebro e suas interfaces com a cognição e comportamentos. Assim a ciência neuropsicológica trouxe grande contribuição no diagnóstico e tratamento de crianças autistas, crianças com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), contribuiu muito também para diagnósticos mais seguros […]

A neuropsicologia é a ciência que se concentra em estudar e compreender o funcionamento do cérebro e suas interfaces com a cognição e comportamentos. Assim a ciência neuropsicológica trouxe grande contribuição no diagnóstico e tratamento de crianças autistas, crianças com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), contribuiu muito também para diagnósticos mais seguros e assim tratamentos mais diretivos para as dificuldades de aprendizagem como discalculia, dislexia, dislalia, disgrafia e disortografia, entre as principais. Houve contribuição também nas desordens emocionais, que envolvem as dificuldades de maturação e impulsividade.

De forma bem didática e simples, podemos dizer que havia um grande vazio entre as especialidades de Psicologia, Neurologia e Psicopedagogia… O aluno com déficit de atenção, o aluno com dificuldade para aprender ou atrasado ou ainda impulsivo e o aluno autista ganhavam muitos rótulos, mas, no fundo,  nem uma nem outra especialidade podia ajudá-lo de modo efetivo e integrado.

Graças à neuropsicologia hoje temos maior conhecimento de como tudo isso acontece no cérebro e a implicação no funcionamento da pessoa.

A neuropsicologia atua no diagnóstico, com aplicação de testes para verificação dos índices intelectuais Qis, provas e escalas para verificação das funções mentais, como atenção, memória, processamento visual, raciocínio verbal, funções executivas como pensamento, controle inibitório, entre outras que auxiliam muito para que se compreenda as habilidades e dificuldades do indivíduo. Além disso, durante o processo de avaliação é importante também a avaliação emocional e verificação da maturidade.

O diagnóstico gera um laudo com a conclusão diagnóstica e que permite aos profissionais envolvidos traçarem assim uma intervenção focada e mais eficaz, pois o mapeamento do funcionamento cerebral envolvendo os dados da cognição e emoção permite esta intervenção individualizada.

A neuropsicologia também atua nos tratamentos, estimulando o funcionamento cerebral, com exercícios, técnicas, recursos tecnológicos, que visam habilitar as funções ainda não adquiridas ou em atraso. Pode atuar também nos casos de reabilitação de pessoas que já tiveram a função e perderam após um AVC ou um traumatismo craniano ou ainda pós-cirurgias cerebrais.

Foi necessária toda esta explicação para que vocês, pais, fiquem atentos aos atrasos no desenvolvimento, déficits ou dificuldades no campo da atenção e da memória, no campo da aprendizagem e nas dificuldades emocionais. A qualquer sinal, procurem um especialista em neuropsicologia!

A avaliação neuropsicológica pode ser feita com crianças a partir dos 2 anos, sem limite de idade, pois adultos que não foram diagnosticados na infância, podem hoje se beneficiar desta maior compreensão e assim buscarem melhores tratamentos. Idosos também utilizam muito o serviço de neuropsicologia, pois ocorrem as perdas cognitivas, especialmente da memória e as suspeitas de quadros demenciais.

Vocês, pais, são as pessoas que mais observam de perto seus filhos, assim como a escola. Observe o brincar de seu filho, observe as outras crianças do grupo, não a fim de comparar, pois o desenvolvimento de cada um é único, mas a fim de ter parâmetros do que crianças na mesma idade podem fazer ou conseguem. Converse com a professora de seu filho, entenda o que ela observa em seu filho e como ele está em relação a turma da mesma idade.

Dificuldades de atenção, em se concentrar; dificuldades em compreender as lições, os enunciados; agitação exacerbada; imaturidade; atrasos; demora maior no processo de alfabetização; trocas de letras que persistem, mesmo depois de muitas correções; dificuldades com cálculos, na leitura e escrita, são sinais que podem dar indícios da necessidade de uma investigação ou avaliação neuropsicológica.

Comportamentos de oposição, de pouco controle de impulsos, tempo reduzido de atenção, dificuldades com limites e comandos, dificuldades de se ajustar ao meio e a presença de comportamentos inadequados também são indícios importantes que merecem avaliação.

Não hesite ou demore, busque ajuda, antes que as dificuldades da cognição causem impacto no funcionamento emocional , como o mais comum e sofrido, o rebaixamento de autoestima, comorbidade frequentemente associada e encontrada entre muitas crianças, jovens e adultos.

Luciana Xavier @neuropsicoloux é psicóloga e neuropsicóloga, especialista em atrasos do desenvolvimento e intervenção precoce e atua na prática clínica há 23 anos nos setores de psicologia, neuropsicologia e direção clínica da equipe multidisciplinar da Clínica Mais Saúde, em Santo André (SP).